Textos

LABIRINTOS

Karline Batista & Robson Rodriguez

Seu coração é um labirinto
Tortuoso e aterrador
Equiparável a quase
impenetrável obra de Dédalo
memorável arquiteto construtor.

Temerosos ficam os bravos
E suas pernas cambaleantes.
Em contraste às feições pálidas
E aos gritos ressoantes.

Evidencia-se: O Amor.
Como uma fera mitológica.
Não horrenda ou angustiada,
Mas presa, aflita na penumbra
De su’alma castigada.

Não impede que o herói a cace,
Mesmo que de longe o imponente veja
Sob os olhos as feições que deseja…
Eis no coração a mais real e bela face.

CARROSSEL

Karline Batista & Aquino de Souza

Um poema caiu do telhado

E no chão, fez-se carrossel.

O seixo contra as nuvens disparado

Mudou-se em pássaro no céu…

 

Regressa feito tornado, jorrando pra fora do papel

De forma que hiperonimizado

Reveste o cosmos como um dossel

Na esquina, olhares enviesados.

Almas perdidas de menestrel

 

Perguntam pelos cântaros quebrados

Que escorrem o mais lírico mel

Astros em rotas alteradas,

Despencam vitoriosos em tropel.

 

A gravidade das formas declamadas

Atravessa do templo ao bordel

Para o ruído lírico que retumba, majestoso corcel!

Reconciliando os ritos da macumba

E as litanias do cristão fiel…

 

E o poema decaído surge altivo a romper o véu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s